sentimentos, compras e viagens

Archive of ‘blá blá blá eu’ category

Felicidades da Vida

by

As vezes me bate uma de “eu não tenho a menor ideia do que estou fazendo da minha vida.” E ai gosto de lembrar das coisas que mais me movem, as minhas maiores vontades, sonhos e aspirações.

1. Ser uma boa profissional.

Acho que uma das coisas que mais me fazem feliz é perceber que estou fazendo meu trabalho direito. Graças a Deus tenho a sorte de ter o emprego que eu queria, fazer o que eu gosto com pessoas que eu gosto. Claro que preciso melhorar muito, quero um pós, um MBA, alguns cursos, outras experiências, mas por hora estou exatamente onde deveria.

2. Estar com minha família.

Meu ascendente em câncer fala mais alto quando o assunto é família. Sou apaixonada pelos meus. Saber deles, falar com eles, dar presente , vê-los felizes são coisas que realmente dão muito sentido na minha vida. Quando lembro do amor que tenho pelos meus sobrinhos, irmãos e pelos meus pais, muita coisa faz mais sentido.

3. Planejar Viagens

E eu nem tô falando da viagem em si, que é CLARO que eu gosto. Mas planejar viagens, sonhar, aspirar coisas pra fazer, pensar nos detalhes realmente é algo que eu aprecio. Passar horas nos sites de hotéis de de passagens, quem nunca, né?

4. Fotografar

Na verdade não sei se gosto mais de tirar fotos ou de fotografias em si, sou apaixonada por recordações, sou altamente nostálgica e ter uma coleção de momentos registrados é algo que eu aprecio MUITO. Tanto que eu quase nunca estou nas fotos, porque sempre as tiro.
Gosto de fotografias conceituais e as do dia-a-dia. Registrar momentos é algo que me deixa  muito feliz.

5. Comprar

Ahhh poucas coisas me deixam mais feliz que gastar dinheiro! Os econômicos que me perdoem, mas dinheiro foi feito pra gastar. Especialmente em lojas de decoração, papelaria, roupas, maquiagem… Só de pensar já fico com um sorrisão no rosto.

 

Desafios da Vida Adulta

by

A vida começa confusa, não sabemos direito quem somos, pra onde vamos e quem são as pessoas que certamente irão nos acompanhar durante boa parte da nossa jornada. Aos poucos as coisas começam a fazer mais sentido, você se encontra no meio em que vive, vai pra escola durante anos, faz amigos e está super acostumado com a rotina de ser você. A escola acaba, começa outro grande conflito, qual caminho devo seguir? qual profissão escolher? – você escolhe, e torce pra que dê tudo certo.

Não foi diferente comigo, eu escolhi a minha profissão logo que saí do ensino médio, passaram-se algumas opções na minha mente, mas confesso que não poderia ter escolhido algo melhor. Publicidade é atualmente a minha alma, não me vejo trabalhando com nada muito diferente disso. E me considero sortuda por ter estudado algo que me identifico tanto, mas devo admitir, foi sorte. Eu quase estudei História, Jornalismo e pensei até em psicologia. A comunicação é algo muito forte em mim, sou muito expressiva, muito sensível e preciso me expressar.

Desde quando escolhi ser publicitária passaram-se alguns anos (quase 9 pra ser mais exata) e desde sempre quis trabalhar na minha área, meus estágios sempre me geraram contratação, eu gostava de ficar muito além das 6 horas estipuladas e queria aprender tudo que eu pudesse trabalhando. A faculdade foi muito importante, li muitas coisas, passei por algumas matérias que certamente não teria oportunidade de aprender no trabalho, e realmente foi muito bom aprender todas as coisas que me passaram ali. Foi um tempo de muita correria, eu passava o dia nos estágio, pra faculdade a noite e por muitas noites chegava e ainda ia fazer trabalhos/estudar. Acho que é a fase da minha vida que mais me orgulhei de mim, era muito sozinha, mas muito dedicada, eu sabia muito bem onde queria ir com aquilo e fui até me formar.

Hoje tenho certo orgulho de trabalhar com que trabalho, sou atendimento desde que comecei a minha carreira e como sempre digo, eu não escolhi ser atendimento, a profissão é que me escolheu. Eu tenho perfil de agradar as pessoas, de tentar entregar o melhor de mim, não só com os clientes mas principalmente com os criativos. Obedeço quem paga a conta, e tenho prazer enorme em entregar aquilo que se pede. Ainda tenho muita coisa pra aprender,  entender a cabeça humana de fato é algo bem complexo, mas graças a Deus tenho ido bem nessa parte. Só peco ainda em ser muito sensível,  mas sei lá, tenho aprendido me respeitar, sem cobrar que eu seja perfeita. Entendo principalmente que antes de qualquer coisa , sou humana e não um robô. Acho que cada vez mais as empresas devem ter essa consciência, pra mim quando mais agradável o local de trabalho for, mais vontade de ficar lá eu terei. Trabalhar é muito bom, muito gostoso, ver o resultado das coisas que você faz é um prazer inenarrável, muitas vezes digo que é melhor que o salário. E é mesmo. Espero que cada vez mais eu encontre lugares humanos, onde eu possa compartilhar experiências profissionais e pessoais, onde eu possa crescer sendo eu mesma. E estou escrevendo isso como uma carta pro futuro, pra caso um dia me sinta 100% realizada em algum lugar (acho meio impossível, but i keep trying).

1 2 3 36